quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Momentos da Festa do Servidor Público - no Iate







terça-feira, 27 de outubro de 2009

DIA 28/10 - DIA DO FUNCIONÁRIO PÚBLICO

O dia 28 de outubro é dedicado ao funcionário público como uma data comemorativa de especial significado no calendário brasileiro.Trata-se de um momento de grande importância, por contemplar milhões de brasileiros, nas diversas esferas de poder, que contribuem e servem ao Estado e, em especial, à sociedade, nas mais diferentes áreas de trabalho.

A data foi instituída no governo do presidente Getúlio Vargas, através da criação do Conselho Federal do Serviço Público Civil, em 1937.

Em 1938 foi fundado o Departamento Administrativo do Serviço Público do Brasil, onde esse tipo de serviço passou a ser mais utilizado.

As leis que regem os direitos e deveres dos funcionários que prestam serviços públicos estão no decreto nº 1.713, de 28 de outubro de 1939, motivo pelo qual é o dia da comemoração desse profissional.

Em 11 de dezembro de 1990, foi publicado o novo Estatuto dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais, a Lei nº8112, alterando várias disposições da antiga lei, porém os direitos e deveres desses servidores estão definidos e estabelecidos na Constituição Federal do Brasil, além dos estatutos das entidades em que trabalham.

Os serviços públicos estão divididos em classes hierárquicas, de acordo com os órgãos dos governos, que podem ser municipais, estaduais ou federais. Os serviços prestados podem ser de várias áreas de atuação, como da justiça, saúde, segurança, etc.

Para ser servidor público é preciso participar de concursos e ser aprovado no mesmo, garantindo assim a vaga enquanto profissional. O bom desse tipo de trabalho é que o servidor tem estabilidade, não pode ser dispensado de suas funções. Somente em casos extremos, em que se comprove a falta de idoneidade de um funcionário público, é que o mesmo é afastado de seu cargo.

Os salários dos funcionários públicos são pagos pelos cofres públicos, dependendo da localidade. Se for municipal, são pagos pelas prefeituras; se estadual, pelos governos estaduais; e se federal, pagos pelos cofres da União.
Os servidores públicos devem ser prestativos e educados, pois trabalham para atender a população civil de uma localidade.
É comum vermos pessoas reclamarem dos serviços públicos, da falta de recursos dos mesmos, falta de profissionais para prestar os devidos atendimentos ou até mesmo por estes serem mal educados e ríspidos com a população. É bom enfatizar que esses profissionais lidam com o que é público, ou seja, aquilo que é de todas as pessoas. Portanto, ganham para prestar serviços a toda comunidade.
PARABÉNS A TODOS OS SERVIDORES PÚBLICOS, em especial da SEFIN/STM/PA.

L E R


Em homenagem ao Movimento Livro nas Mãos
.As diretrizes para uma política pública voltada à leitura e ao livro no Brasil..Acesse http://www.pnll.gov.br/ e dê a sua opinião..Consulta Pública Permanente.


Amo tanto ler, que resolvi publicar na íntegra este texto feito pelo mestre Gabriel Perissé.

Ler é ver, e vender a alma a mim mesmo.

Ler é webmaster ser da própria existência.


Ler é xover com "x" para manter a ordem.


Ler é ynventar um verbo com "y" e ver no que vai dar.


Ler é zíper a fechar e abrir.


Ler, enfim, é percorrer as letras e nunca chegar ao fim. Porque o abecedário é pouco para tanta fome e sede de leitura.


Ler é 1 dos muitos atos que nos fazem ler quem de fato somos.


Ler é 2 livros ler ao mesmo tempo e neles se espelhar.


Ler é 3 vezes mais do que qualquer outro prazer solitário.


Ler é 4 paredes, entre as quais descobrimos quem é inferno ou paraíso para os outros.


Ler é 5 dias no deserto para descobrir o errado, e o certo.


Ler é 6 por meia dúzia, pequena quantidade incerta.


Ler é 7 dias de trabalho, de sol a sol, de lua a lua.


Ler é 8, ou oitenta.


Ler é 9, fora e dentro de mim, viagem para o aquém e o além.


Ler é 10, nota máxima, gesto musical do leitor compulsivo.


Ler letra ou numeral é, em suma, um delito legal.



Gabriel Perissé é Doutor em Educação pela USP e escritorWebsite: http://www.perisse.com.br/

O essencial

"As pessoas grandes adoram os números. Quando a gente lhes fala de um novo amigo, elas jamais se informam do essencial. Não perguntam nunca: 'Qual é o som da sua voz? Quais os brinquedos que prefere? Será que coleciona borboletas?' Mas perguntam: 'Qual é sua idade? Quantos irmãos ele tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai?'

Somente então é que elas julgam conhecê-lo. Se dizemos às pessoas grandes: 'Vi uma bela casa de tijolos cor-de-rosa, gerânios na janela, pombas no telhado...' elas não conseguem, de modo nenhum, fazer uma idéia da casa.
É preciso dizer-lhes:
'Vi uma casa de seiscentos contos'. Então elas exclamam: 'Que beleza!'(...) Mas nós, nós que compreendemos a vida, nós não ligamos aos números! Gostaria de ter começado esta história à moda dos contos de fada.
Teria gostado de dizer:
'Era uma vez um pequeno príncipe que habitava um planeta pouco maior que ele, e que tinha necessidade de um amigo...' Para aqueles que compreendem a vida, isto pareceria sem dúvida muito mais verdadeiro."

O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry.

domingo, 25 de outubro de 2009

PARABÉNS BRUNA & MELVIN

Melvin e Bruna - 6 anos de união .....
FELIICADES,
AMOR,
SABEDORIA,
HARMONIA,
CUMPLICIDADE
....
bênçãos e proteção divina.
O casal prestando atenção nas palavras do Papai ... que estava, na ocasião, parabenizando os dois, e 'dando' uns conselhos - peeeeeeeensem!!!! Melvin preparou uma surpresa para Bruna e a surpreendeu com uma TV(para o quarto do casal) ...... ela ficou tão feliz que parecia a Gigi quando ganhou a bicicleta - rsrsrrsrs



PARABÉNS MAMÃE !!!!

Mamuska e Lucas
Mamuska e Davi
No dia 25 de outubro de 1956 nascia um Vitório...
Não desculpe, nascia uma Vitória...

Hum.. Será? Não, não... nascia...? Meu Deus.... Socorro! Me ajudem...!!!
Nascia no dia 25 de outubro...???
Sim... No dia 25 de outubro de 1956.
No ano de 1956?
Sim... Neste ano mesmo... Próprio neste ano...

Hum...... Ah.. Sim...
Nascia...? Ah... Agora sei...!!!
Nascia a Socorro Vitória...

Não...Rapaz... Não é a Socorro Vitória!
Mas a Socorrro do Vitório...

Ahh... Agora sim!!!

No dia 25 de outubro de 1956...
Nasceu a Socorro do Vitório.

Ahhh!!! Agora tudo bem!!!

Parabéns querida SOCORRO.
Muitas anos em sua vida...
Muitas não! Muitos anos em sua vida...
Certo, certo... Muitos anos... Tudo conforme a vontade de Deus.

Socorro querida do coração...
Que Maria Conceição da Caminhada... Possa lhe cubrir com seu manto azul.

Felicidades.

Um beijo em seu coração.

Pe. Auricélio Paulino

PARABÉNS MAMÃE!
NÓS TE AMAMOS MUITO
E
DESEJAMOS TODO AMOR, PAZ, SAÚDE, FELIDADES .......
TODAS AS BÊNÇÃOS DE DEUS.
FELIZ ANIVERSÁRIO!!!!
torcedores fanáticos Café em Família com a Matriarca

PS. Café da manhã em família e depois almoço no Seminário. Tudo muito agradável.....
Ah, o convidado da mamãe: Luís Otávio - não aparece nas fotos, por ser sempre do contra - rsrssrssrs

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

3º MESversário de LUCAS & DAVI


Os gemeos mais lindos do mundo completaram 3meses de vida(22/10/09) ....... e estão cada dia mais lindos, fofos e saudáveis(Graças ao Bom Deus).
Desejo aos bebês e aos pais muita saúde, paz, amor ... muitas bênçãos.
Beijinhossssss ...
AMO ESSE QUARTETO FANTÁSTICO!!!!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Sustentabilidade X Elástico



Economicamente, um país não cresce sem produzir miseráveis. I-M-P-O-S-S-Í-V-E-L !!!

A riqueza é o contrário da pobreza, assim como é o bem e o mal. Neste caso, bem e mal entram no ponto de vista, o que é uma questão pessoal, individual.

Sustentabilidade é economia. É também sociedade e é também meio ambiente. Tudo que você precisa, pensa bem: ou é de alguém, ou está naquilo que o planeta te dá. O resto é economia.

Estique um elástico: é notável; é visual o seu crescimento, mas existe tensão de ponta a ponta. E nessa tensão, não há lado mais fraco para estourar. Ele, simplesmente, pode estourar. Em qualquer ponto. E, pior, um dia estoura mesmo. Seja do lado rico, seja do lado pobre. Ele simplesmente estoura.

Uma economia serve para atender as necessidades do presente. E o futuro, o longo prazo?
O planeta atravessa (ou está atravessando) uma crise do seu tamanho. Global. Mas, de que se trata?

De uma crise financeira. Só.... Aí, eu penso, até concluindo: essa crise não é do planeta. São dos financistas deste sistema econômico. Obviedade pura. Eles, com certeza, não são o planeta. Tem outras coisas, não tem?

Crises financeiras, inegável, são importantes relevá-las. Prejudica-nos, afinal. Economicamente, afinal. A final... Porque o início e o meio não têm sido importantes. Infelizmente...
Início é o que nos põe em vida. Meio é como devemos viver. Para evoluir. E como têm sido nossa evolução? Econômica... Só econômica...

Pense bem:
o elástico não está em suas mãos. Talvez você seja ele...

A tecnologia a meu favor .... contra a hipocresia!

Antigamente, quando as pessoas se conheciam, trocavam telefone. Na década de 90, começaram a trocar email. No início do século XXI, evoluíram para o celular, em seguida para o msn e orkut.Eu acho o máximo o anvanço da tecnologia. Adoro 'fuçar' em todos esses campos da comunicação. E por exemplo, quando não sei o caminho, costumo dar milhões de voltas ao invés de parar para perguntar.

Telefone? Detesto. Fico dias sem usar o celular (e sem atendê-lo também, principalmente se for número restrito, quem me conhece sabe o quanto isso é real em minha vida). E-mail você responde quando quer, e se quiser. Não acho que as pessoas têm obrigação de falar com os outros quando não estão a fim.Enrolei tudo isso para dizer que eu uso a tecnologia a meu favor. Conecto e desconecto (literal e metaforicamente) quando e onde me convém. E não tenho problema nenhum em admitir isso.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

BONECA DE CROCHÊ

Um homem e uma mulher estavam casados por mais de 60 anos. Eles tinham compartilhado tudo um com o outro. Eles tinham conversado sobre tudo.

Eles não tinham segredo entre eles afora uma caixa de sapato que a mulher guardava em cima de um armário e tinha avisado ao marido que nunca a abrisse e nem perguntasse o que havia nela. Assim por todos aqueles anos ele nunca nem pensou sobre o que estaria naquela caixa de sapato.

Mas um dia a velhinha ficou muito doente e o médico falou que ela não sobreviveria. Visto isso o velhinho tirou a caixa de cima do armário e a levou pra perto da cama da mulher. Ela concordou que era a hora de ele saber o que havia naquela caixa. Quando ele abriu a tal caixa, viu 2 bonecas de crochê e um pacote de dinheiro que totalizava 95 mil dólares.

Ele perguntou o que aquilo significava e ela explicou:

- Quando nos casamos minha avó me disse que o segredo de um casamento feliz é nunca brigar. E, se alguma vez eu ficasse com raiva de você, que eu ficasse quieta e fizesse uma boneca de crochê.


O velhinho ficou tão emocionado que teve que conter as lágrimas enquanto pensava ''Somente 2 bonecas preciosas estavam na caixa. Ela ficou com raiva de mim somente 2 vezes por todos esses anos de vida e amor.''

- Querida!!! - ele falou - Você me explicou sobre as bonecas, mas e esse dinheiro todo de onde veio?

- Ah!!! - ela disse - Esse é o dinheiro que eu fiz com a venda das bonecas.

PRECE

Senhor, da-me sabedoria para entender meu marido, amor para perdoá-lo e paciência para aturá-lo, Senhor, porque se eu pedir força, eu bato nele até matar, eu não sei fazer crochê...Amém!

RECOMENDO


Estou lendo: O Divã

Na minha opinião, a melhor frase do livro: " São muitas mulheres e alguns homens, prepare- se para uma terapia de grupo", quando li essa frase fiquei pensando na minha vida e concordo com a personagem, nós somos várias pessoas em uma.Tentei identificar essas pessoas dentro de mim, deparei-me com uma senhora de 90 anos, com netos, bisnetos que tenta não fazer nada errado para não machucar as pessoas que ama, teve sempre a sua vida pautada nos outros, minha conselheira. A outra que vive em mim é uma adolescente rebelde, que age antes de pensar, sem objetivos, corajosa, sem medo de nada, que pensa que a vida é uma diversão constante, minha alegria para o perigo. Não consigo fazer gênero, a frágil, a santa, a medrosa. Acho que depois dos 30(33), não vou conseguir mudar isso, fui criada dessa forma - em um mundo muito transparente. Espero mudar, nem que seja um pouco.

SINOPSE:

"Divã" conta a história de Mercedes - uma mulher com mais de 40, casada, filhos - que resolve fazer análise. O que começa como uma simples brincadeira acaba por se transformar num ato de libertação; poético, divertido, devastador. Movida pela angústia existencial , que se não é coisa triste tampouco é libertadora, a busca da protagonista de Marta é universal e atemporal: quer descobrir , entre todas aquelas que ela é , quem é a chefe, quem manda dentro dela. Marinheira de primeira viagem em terapia a personagem encara o consultório como se fosse uma espécie de alfândega que vai dar o visto para ela passar para o lado mais oculto de sua personalidade. Na verdade, o mundo inventado por sua protagonista é abertamente inspirado na realidade que ela captura em suas deliciosas crônicas. Mercedes é uma mulher que se parece um pouco com todas nós. Divertida, pragmática, inteligente e - sim, por que não? - superfeminina. É do tipo corajosa, daquelas que não têm medo de nada. Capaz de administrar bem a casa, os filhos, o marido e até mesmo seus ataques de vaidade. Ela nos parece muito segura de si, daquelas que possuem controle sobre tudo. Será? Ao decidir pela análise, nossa protagonista descobre que controle é uma palavra bastante frágil - ´não tenho medo de perder o senso. Eu tenho medo é desta vigilância interior, tenho medo do que impede de falhar´. Ao se deitar naquele divã, Mercedes se dá conta de suas armadilhas cotidianas. Ao entrar neste jogo catártico, Mercedes nos confidencia que a liberdade é atraente quando nos parece uma promessa, mas pode nos enlouquecer quando se cumpre. Dona de um texto simples e brilhante, Martha seduz com uma narrativa envolvente e catalisadora e transforma o leitor a princípio numa espécie de voyer, conduzindo-o por uma espiral de acontecimentos reveladores. Ao final da leitura somos surpreendidos e, além de nos tornamos cúmplices das loucuras, conflitos, e questões existenciais de Mercedes, constatamos que em vários momentos estávamos deitados em nossos próprios divãs.



Sempre desprezei as coisas mornas,

as coisas que não provocam ódio nem paixão,

as coisas definidas como mais ou menos,

um filme mais ou menos ,um livro mais ou menos.

Tudo perda de tempo.

Viver tem que ser perturbador,

é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados,

e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoraçao ou seu desprezo.

O que não faz você mover um músculo,

o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia.


(trecho de “O Divã”)Martha Medeiros